Curiosidades gerais: Parte-1

Curioso: quem não é?

É sexta-feira queridos(as) leitores(as) e hoje o assunto é: curiosidades! Aos sabichões e sabichonas de plantão um aviso: se já souber do que vem por aqui não me critique, afinal eu não sei o que vocês sabem. O que importa é ter curiosidade e posso afirmar que pelo menos quando vocês eram crianças, certamente perguntaram muito sobre várias coisas. Pensando nisso, vamos a algumas daquelas curiosidades danadinhas que parecem simples, mas a resposta pode não ser tão fácil de explicar ou ainda complicada de achar… pelo menos na minha infância eu sei que muitas de que eu fiz não foram ‘molezinha’, eheheh!!

duvidas

Cinco que podem judiar!

1-) Por que o céu é azul?

  • Quer uma ‘resposta’ para criança pequena entender ou quer a ‘real’? Vamos as duas. Como explicar a uma criança de 5 anos por que o céu é azul? Crianças entendem mais facilmente as coisas visualmente, com demonstrações, atividades, então proponha o seguinte:
  • Consiga alguns plásticos transparentes de várias cores (azul, verde, vermelho, amarelo, laranja, roxo, etc) e uma lanterna, de preferência aquelas de LED. Coloque o plástico a uma certa distância de uma parede branca (uns 40 cm está bom!), ligue a lanterna, encoste-a no plástico e peça que a criança olhe a cor da luz iluminando a parede branca… é da cor do plástico! Repita isso com todos os plásticos que escolheu. Explique a criança que isso é devido à “interação entre o material colorido que forma o plástico e a luz” e diga também para ela se lembrar que a luz da lanterna, assim como a do Sol, é uma ‘mistura’ de 7 cores “lembra do arco-iris?”, estimule a memória da criança, diga que quando as 7 cores da luz passam pelo plástico, algumas delas ficam ‘presas’ no plástico e que somente a da mesma cor do plástico passa.
  • Com a primeira explicação comparativa dos plásticos coloridos feita, diga para a criança se lembrar de que estamos cercados por ar, o planeta todo está cercado por ar, e assim como o plástico, quando a luz do Sol passa por todo esse ar até chegar em nossos olhos, alguma cor específica vai passar mais facilmente, no caso do ar que nos rodeia é o azul.
  • Conclua dizendo que a explicação correta, de ‘gente grande’, ela irá conhecer depois quando estiver mais adiantada na escola, mas diga a ela que mesmo a explicação de ‘gente grande’ também é, de certa maneira, como a que ela viu no experimento com os plásticos, que a cor azul do céu acontece devido a como o ar que envolve o planeta muda a passagem das várias cores da luz do Sol.
  • A resposta para gente grande sem detalhes de cálculos físicos você pode encontrar no belíssimo e bem feito vídeo do canal Manual do Mundo a seguir:
ceu-azul
Clique AQUI e veja o vídeo (2:47)

 

2-) A gente veio do chimpanzé?

  • Evolucionistas adoram essa pergunta… só que não! Essa é uma das mais enraizadas ideias erradamente interpretada da biologia, tanto que muitos dos ‘ferozes’ críticos leigos da teoria da evolução das espécies se apoiam nesse pensamento para bradar a famosa: “se a gente evoluiu do chimpanzé, como que ainda tem chimpanzé e cadê chimpanzé virando humano”.
  • Falar da teoria da evolução das espécies é algo que dá uma postagem bem longa, portanto, irei de imediato responder o cerne da questão em si. NÃO! Não fomos chimpanzés que viraram humanos, temos um ancestral comum que permitiu a origem de ambos… ponto!
  • Tem uma comparação muito simples que ajuda muito a entender isso: você tem um primo que é filho da irmã da sua mãe, eu te pergunto, quais os ancestrais comuns mais próximos de você com esse primo?  Seus avós maternos. Esses avós deram origem a sua mãe e sua tia, e elas deram origem a você e a seu primo, respectivamente.
  • Agora pense nos humanos e chimpanzés. Dizemos que eles são nossos ‘primos’ próximos, mas assim como você e seu primo não se transformaram e nem irão se transformar um no outro, da mesma maneira o chimpanzé não se transformou e nem irá se transformar em humano. O que complica também na compreensão é que o tempo é muito diferente nas duas situações. Enquanto os ancestrais comuns entre você e seu primo – seus avós – surgiram há 60-70 anos ou duas gerações antes de você e seu primo, o ancestral comum aos humanos e chimpanzés é de provavelmente 13 milhões de anos atrás.

human-chimp

3-) Se todo gelo do planeta derreter em quanto o mar sobe?

  • Mais do que muita gente imagina!
  • Subiria aprox. 70 m, mais precisamente 65-66 m, afinal são aprox. 30 milhões de km cúbicos de água a mais nos oceanos.
  • Se preferir ‘tentar imaginar’ melhor, posso te dizer que são 8 trilhões de piscinas olímpicas (50 m x 25 m x 3m), o que equivale a 1072 piscinas olímpicas para cada uma das 7,46 bilhões de pessoas do planeta! É muita água… mesmo!
  • O preocupante mesmo é o tremendo dano que isso causaria. Seriam muitas complicações! Muitas pessoas residem nas faixas litorâneas do planeta, se o mar subir 10 m, aprox. 630 milhões de pessoas ou 8,4% da população mundial ficariam desabrigadas, se o mar subir 25 m, aprox. 1,4 bilhão de pessoas ou 18,8% da população mundial ficariam desabrigadas. Num trabalho científico publicado em 1998 na revista PNAS, é relatado que em 1994 aprox. 33,5 % da população mundial vivia a até 100 m de altitude. Considerando que isso não mudou, isso hoje equivaleria a aprox. 2,5 bilhões de pessoas, imagine então o quanto de pessoas ficariam desabrigadas se o mar subir 66-67 m! Se tem curiosidade, assista ao vídeo a seguir e veja qual seria a mudança geográfica no planeta:
bi
Clique AQUI e veja o vídeo (2:44)

4-) Quantas árvores existem no planeta?

  • Pois é, em tempo de criançada e adulto preocupado com meio ambiente, em não cortar árvores e plantar cada vez mais, essa perguntinha pode surgir inocentemente, e não adianta você retrucar com aquela famosa: “Ah! isso é pergunta que se faça, não tem como contar isso não!”. Tem sim, a quantidade exata é claro que não dá, mas uma ótima estimativa dá sim, e isso foi feito.
  • Num trabalho publicado em setembro de 2015 na revista Nature, a estimativa é de 3,0412 trilhões +/- 96,1 bilhões de árvores! A estimativa é baseada na combinação de dados de contagens realizadas em solo e também análises por satélite. Um belíssimo trabalho!
  • São aprox. 408 árvores por habitante atualmente. O vídeo a seguir mostra a distribuição da estimativa feita:
nature
Clique AQUI e veja o vídeo (2:43)

5-) Por que existe tudo o que existe ao invés de nada?

  • Vixi!, essa é de amargar se você quiser complicar, muitos responderiam duas coisas basicamente: “não sabemos e nunca saberemos” ou “as coisas simplesmente existem”. Eu te pergunto: o que seria a existência do nada? Ai ai ai, complicou de vez!
  • Essa questão é muito filosófica, pode acreditar. É preciso entender bem o artifício que se usa para responder a essa questão. Basicamente, se alguém te pergunta algo, você ouve e responde usando linguagens como a fala, sinais, imagens, etc. O problema é que não existe garantia alguma se tais linguagens utilizadas são suficientes para expressar tão complexo raciocínio sobre a necessidade de existir o que existe, mas vamos tentar racionalizar sobre o que podemos razoavelmente entender sobre a existência das coisas.
  • Primeiro as definições: qual a diferença entre ALGO (aquilo que existe) e NADA? Os conceitos são opostos, não existe dúvida quanto a isso; ALGO se refere ao estado de todas as coisas que são, existem, o NADA é a negação dessa existência. Portanto, o ALGO é, existe, o NADA não existe.
  • Nesse sentido você se pergunta: Por que é assim? Poderia haver nada em vez de algo? Baseado nas definições dadas anteriormente, a resposta fica fácil: Se o nada existir, então ele seria inevitavelmente algo, o que gera uma contradição com as definições iniciais, demonstrando, assim, que o NADA simplesmente não pode ser ou existir. Em outras palavras, existe ALGO, porque não tem como ser de outra maneira, isso devido a uma inevitabilidade da incapacidade completa, absoluta e total do NADA existir.
  • Se a resposta filosófica acima foi difícil de assimilar, se você leitor(a) amigo(a) preferir usar da lógica, considerando que tenha facilidade em assimilar a lógica, verá que não existe resposta satisfatória.
  • Tenha em mente a seguinte descrição lógica: Definição: Dizemos que X é logicamente impossível, se o mesmo implica numa contradição, e logicamente possível se implica o contrário; Definição: Considere um conjunto de suposições, sendo que uma explicação suficiente para X seja a demonstração de que o não-X é logicamente impossível dentro dessas suposições; Lema: Se não-X é logicamente possível dentro de um conjunto de suposições, então não existe uma explicação suficiente para X (via reductio ad absurdum); Assunção: A ausência de algo é logicamente possível; Conclusão: Não há explicação suficiente para o porquê da existência de algo ou invés de nada.

tim-maia

Questão de questionar certo!

Existem curiosidades consideradas muito simples e muitos que ‘sabem’ respondem de imediato com ‘toda certeza’, só que não! Dois exemplos ‘chatos’:

  1. Qual a montanha mais alta do planeta? Everest (8.848 m acima do nível do mar) no Nepal, mas a resposta pode ser diferente, pois para tudo existe considerações. Considerando o cume da montanha com relação ao terreno base que circunda a mesma, então Manua Kea (Havaí), cume a 4.207 m acima do nível do mar, é a montanha (e vulcão!) mais alta do mundo, estando seu cume a cerca de 10.203 m acima da base do Oceano Pacífico. Agora, considerando que a pergunta esteja relacionada ao ponto mais distante do centro da Terra, nem uma, nem outra, o cume montanhoso mais distante do centro da Terra é o do vulcão Chimborazo no Equador (6.263,47 m acima do nível do mar), estando distante 6.384.468 m do centro da Terra, sendo que o cume do Everest está 2.168 m mais próximo!
  2. Quantos movimentos a Terra realiza? Mais de 99% das pessoas diriam Rotação e Translação, poucas se lembrariam e citariam a Precessão dos Equinócios, mas tem mais. O sistema Terra-Lua gira em torno de um centro comum que se localiza dentro da Terra (parece estranho, mas é isso mesmo!); o Sol e o sistema Terra-Lua giram em torno de um centro comum que muda de posição dentro do Sol; o Sol está se movendo num dos ‘braços’ da Via Láctea ao redor do centro da galáxia e como a Terra está gravitacionalmente presa ao Sol, ela vai junto; a nossa galáxia, Via Láctea, está se movendo em direção a se ‘chocar’ com a galáxia de Andrômeda, e em outras três direções conforme diferentes referenciais, e a Terra, claro, vai junto; também existem as oscilações da translação da Terra devido a influência gravitacional dos demais planetas e corpos do sistema solar; oscilações  do movimento do Sol ao redor do centro da Via Láctea devido a influência gravitacional de outras estrelas; oscilações nos movimentos da Via Láctea devido a influência gravitacional de outras galáxias, e tudo isso se soma acaba sendo movimentos da Terra em vários referenciais. Portanto, é bastante coisa, só aqui temos no mínimo 16 movimentos diferentemente direcionados.

Então quando for responder algo, cuidado!, você pode pegar um questionador que gosta dos mínimos detalhes, mas você não é obrigado a saber, portanto não tenha vergonha de dizer que não sabe com detalhes, afinal, não saber não é vergonha alguma! Se precisar, lembre-se:

“Pergunte aqui que eu procuro a resposta!”

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: